Me mudei para os EUA - Parte 1: Como tudo começou - Clube do Inglês

Me mudei para os EUA – Parte 1: Como tudo começou

9 comments

Hey guyssss! Recentemente divulguei e compartilhei com vocês a respeito da minha mudança para os EUA nas redes sociais mas como sei que nem todo mundo está a todo momento contectado no Facebook, Instagram, Snapchat etc, e considerando que o espaço por lá é mais restrito, resolvi contar aqui no site como tudo aconteceu com todos os detalhes que eu acredito que possa além de matar a curiosidade de vocês, ajudar quem esteja no mesmo barco ou ainda se planejamento para entrar nele rsrs! 

Mas mudança? Que mudança? Você mudou? Pra onde? Por que? Com quem? Como? Pra onde? Que cidade? Com que visto? Vai ficar quanto tempo? Esta legal no país? Como conseguiu o visto?

São taaaantas perguntas (e amoooo quando vocês as fazem) que eu resolvi organizar a história toda por partes de forma que fique algo coerente e bem explicadinho (por isso que resolvi criar a série de 5 posts: “Me mudei para os EUA”

No post de hoje vou contar como tudo começou…

Pra quem não sabe, meu maridones (Tuca) trabalha com TI (tecnologia da informação) e no ano passado ele começou a tocar um projeto para uma empresa americana (funcionário terceirizado) através de consultoria de TI daqui do Brasil (essa consultoria tem filial nos Estados Unidos e é quem aloca os funcionários em empresas americanas). Viemos em agosto de 2015 para Muscatine, Iowa (sede da empresa americana) e voltamos para o Brasil em dezembro. Retornamos para os EUA em janeiro e ficamos por mais 3 meses para ele continuar tocando o projeto presencialmente. Acontece que a empresa gostou tanto do desempenho dele (não é pq é meu marido, mas o bichinho é super inteligente e dedicado – quem conhece ele sabe que eu não tô puxando o saco haha) que decidiu fazer uma proposta para contratá-lo. 

Porééém as coisas não são tão simples assim: gostou, contrata! Vamos ao processo:

Um resumo rápido de como uma empresa americana contrata um estrangeiro através do visto H1B:

A empresa americana precisa divulgar a vaga que está em aberto em jornais / internet de forma que o cidadão americano tenha prioridade à vaga e caso ninguém tenha se interessado ou se qualificado, o processo de contratação de um estrangeiro pode seguir adiante. 

O processo de um visto H1B (em 2016): pré-requisitos, loteria, aprovação e Premium Process

Existem diversos vistos que eu ainda vou falar melhor aqui no site, mas para que uma empresa americana contrate um estrangeiro, uma das formas, é entrar com um processo de petição do visto H1. Para este visto, o candidato precisa de alguns requisitos mínimos, dentre eles ter graduação completa (ou 3 anos comprovados de experiência para cada ano de faculdade que você não tenha)

Guess what? Marido não tem graduação completa… maaaaaas tem os 12 anos de experiência que são exigidos. UFA! Kkk E toooca correr atrás de todas as empresas para nos darem um comprovante que ele trabalhou lá durante o período (ele sempre foi PJ – pessoa jurídica)visa

Missão cumprida! Todas os comprovantes em mãos, hora de preencher a petição! Uma empresa chamada VISANOW foi contratada pela empresa americana (que queria contratar o Tuca) para fazer todo o processo e nos ajudar com todas as dúvidas. 

Dia 31/03/16: a petição foi enviada ao governo americano. Próximo passo? Aguardar o sorteio! Sim, foram mais de 233.000 estrangeiros pedindo esse mesmo visto – CONTRA APENAS 85.000 VISTOS CONCEDIDOS PELO GOVERNO AMERICANO – ou seja, tínhamos APENAS 36% de chance de consegui-lo. Este processo se chama LOTTERY justamente por esse motivo: eles colocam o seu nome no “saquinho”, junto com outros milhares de nomes, chacoalham e tiram os 85mil nomes sortudos desse saquinho! Rsrs 

Depois de exatos 34, dias (dia 04 de maio) aguardando com o coração na boca e tendo micro-infartos cada vez ele dizia “MOR…”  pra nossa ABSURDA SORTE, o nominho do Tuca foi tirado do saquinho (momento oversharing da minha intimidade com vocês, mas gente… eu rezei tanto, pedi tanto pro Papai do Ceu, conversei TANTO com Ele, mas TAAAANTO… que eu acho que resolveu dar, e é como se ele pudesse falar “Ai, tá bom! Dá logo o visto pra essa menina porque eu não aguento mais essa criatura me chamando toda hora hahaha 🙂 Tks again Papai do Céu, você É O CARA! (L)) hahaha

Passamos então pra segunda parte do processo: APROVAÇÃO DA PETIÇÃO (você ainda pode ser reprovado aqui sim, tá?). Nesta parte eles analisam cuidadosamente todos os documentos, comprovantes, carta de oferta de emprego, currículo do candidato, etc etc e então dizem se está aprovado, reprovado ou se querem mais documentos (caso falte algo ou não tenha sido suficiente, ou claro o bastante pra eles). 

A gente aguardou, aguardou… aguardou mais um pouquinho… era dia 11/07 e ainda não tinham aprovado o visto. Foi aí que a empresa americana resolveu contratar um tal “PREMIUM PROCESS” que o governo oferece para acelerar a análise do processo. E de repente, não mais que de repente, no dia seguinte saiu a aprovação hehehe Ta achando que é só no Brasil que tem isso, benhê? haha #danadinhos

Proooonto! Agora sim, tudo garantido né? NÃO! Ainda tínhamos que passar pela entrevista no Consulado Americano. Aguardamos quase um mês para receber o documento original da aprovação do visto H1B (i-979) para então poder agendar nossa entrevista lá. NOSSA? Sim, eu também ganho o visto, porém com um nome um pouco diferente H4 (visto para esposa de H1 – vou falar sobre ele no detalhe em outro post). Recebemos o documento original (i-979) da VISANOW escaneado por e-mail e agendamos a entrevista: o ultimo processo teoricamente simples mas que, para ser muito honesta, foi quase um pesadelo! 

Final Step: A entrevista no Consulado Americano 

Entrevista agendada e separamos / imprimimos toda a papelada para levar, incluindo a petição completa (mais de 100 páginas) e a aprovação do governo americano. Como já imaginávamos, a entrevista foi toda em inglês porém com alguentrevista-consuladomas perguntas bem difíceis de responder mas graças a Deus, maridones foi mto bem na entrevista e respondeu tudo direitinho. Enfim, o Consul nos pediu que aguardássemos em uma salinha enquanto ele analisava o passaporte do Tuca.

Quando voltamos a conversar, ele pediu um documento que justamente a única coisa que ele pediu pra olhar, a gente não tinha levado (tks, Murphy!)! Bom, ele disse que não tinha uma resposta quanto à aprovação, que analisaria o caso e que se a gente não recebesse nenhum e-mail deles em até 3 dias, que poderíamos buscar o visto. Na sequência, ainda no consulado, pagamos uma taxa chamada Reciprocity Fee (é um visto que todo solicitante de visto paga. No nosso caso, H1 foi de $190 dólares por pessoa) e fomos pra casa. 

Essa entrevista aconteceu em uma terça feira e olha… foram os dias mais longos da minha vida! Chegava o Carnaval mas não chegava segunda feira! E nada da bendita resposta… bom, passou o final de semana e logo amanheceu…  segunda-feira finalmente e eu mal podia esperar pra saber se o visto estava lá. Chegamos na porta do consulado e…. FECHADO – LABOR DAY (dia do trabalho). Pois éééé meus amores,  se não é com emoção, NAO TEM GRACA!!! Rsrs 

Terça feira, voltamos lá e graaaaaças a Deus os vistos foram aprovados e impressos (acho que vocês já imaginavam o final da história já que no título eu disse que já me mudei né? kkkk)! Próximo passo? Resolver tudo o que for pendente no Brasil e correr atrás das coisas do novo lar: MUSCATINE – IOWA. Esses próximos detalhes ficarão pro próximo post! 

Quando nos mudamos para os Estados Unidos?iowa-sign

Com o visto H1B, você só pode entrar nos EUA (de mudança) a partir de outubro, então compramos nossas passagens para o dia 06/10 e até lá, corremos atrás dos detalhes que falarei no próximo post.

Meus amores, ficou longo mas cheio de detalhes que sei que são importantes para quem está passando ou vai passar (ou até para quem tem curiosidade de como é este processo). É claro que este é um relato da MINHA experiência e não q
uer dizer que vai acontecer o mesmo com você! Cada caso, é um caso. Por exemplo: tem um outro rapaz que foi contratado pela mesma empresa, foi aprovado na loteria mas até agora (dia 28 de novembro) não teve o visto aprovado para agendar entrevista no consulado. Entenderam? 

Qualquer dúvida ou sugestão, deixem nos comentários que eu vou ter o maior prazer de responder. E amanhã tem a continuação da série: ME MUDEI PARA OS EUA – PARTE 02. Até mais meus amores! 🙂 

9 comments

Aproveite para ler também: